sexta-feira, 9 de abril de 2021

O PARTIDARISMO NO SEIO DA IGREJA E AS DIVISÕES NO CORPO


Por Rafael Gomes

Procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz (Efésios 4.3)

Um dos movimentos recentes, que mais tem me chamado a atenção no âmbito da igreja é o que tange partidarismo político. Esse fenômeno tem alavancado as discussões de cunho político/social, e isso é muito saudável para o Corpo de Cristo. No entanto, o que tornou-se claramente visível é a divisão gerada pelo excesso.

De modo geral o brasileiro nunca foi de se envolver tão veementemente na vida política, a não ser em períodos muito específicos da história do país. Política nunca foi mais importante que futebol em terras tupiniquins, mas ultimamente isso tem mudado. Curiosamente encontramos pessoas falando não de jogadores, mas de presidenciáveis; não dos seus times, mas dos deputados. Houve tempos em que poucos saberiam elencar os nomes dos onze ministros do STF, mas hoje isso é uma realidade até para as pessoas mais simples do povo.

Diante de todo esse envolvimento com o cenário político, a Igreja de Cristo, formada por pessoas que obviamente transitam em meio ao povo, acabou sendo envolvida diretamente nos debates acalorados. As bandeiras das personalidades públicas, e dos partidos políticos, começaram a ocupar os mastros no interior das igrejas locais. Divisões começaram a surgir devido aos olhares diferenciados acerca das diversas ideologias e pretensões propostas. O vínculo da paz deixou de direcionar a relação entre muitos irmãos, que passaram a creditar aos seus candidatos e partidos papeis excessivamente preponderantes em suas vidas.

É claro que à medida em que deixamos de buscar cuidadosamente a comunhão, a divisão se estabelecerá. À medida em que deixamos de focar naquilo que nos une, seremos tentados a focar naquilo que nos interessa em particular e que divide no coletivo. Por esse motivo me senti impelido a gravar o vídeo que segue abaixo, tendo por objetivo chamar os irmãos à reflexão quanto aos partidarismos existentes atualmente na Igreja.

Que o Espírito Santo nos ajude a enxergarmos nossos erros, e nos conduza ao estado de comunhão que O agrada, em nome de Jesus!



0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário. Ficaremos felizes em poder contar com a sua opinião.