terça-feira, 15 de dezembro de 2020

O MAL ADVINDO DA IRA

Portanto, o Senhor DEUS diz assim: O inimigo virá, e cercará a terra, derrubará a tua fortaleza, e os teus palácios serão saqueados. (Amós 3:11)

Costumeiramente consideramos o mal como advindo somente do inimigo de nossas almas. Isso é senso comum, porém, não há fundamentação bíblica para pensarmos assim. Existem diversos exemplos na Bíblia que nos mostram o contrário. Muitas vezes vemos o mal surgir em decorrência do juízo de Deus sendo aplicado. O mal é uma realidade trágica de nossa condição de impiedade.

Contudo, por diversas vezes Deus, o Senhor, se utilizou do próprio mal para conduzir o bem ao Seu povo; foi assim quando Adão caiu, foi assim entre Jacó e Labão, ou ainda, entre José e seus irmãos. Foi assim com Cristo, quando a partir de Sua morte se manifestou a vida a nós. Sendo assim querido leitor, fica claro que o mal está sujeito e submisso à vontade soberana de Deus, que decreta todas as coisas conforme o Seu justo e perfeito conselho eterno.

Diante disso percebemos que Satanás está muito distante daquilo que o senso comum nos sugere. Nem de perto ele tem poder para determinar alguma coisa, ou agir alheio à vontade de Deus. Se assim o fosse, estaríamos perdidos!

No entanto, o que eu gostaria de ressaltar a respeito desse texto de Amós, é justamente o mal que advém da Ira do Senhor. O mal como consequência direta dos nossos pecados e ofensas à Santidade de Deus. Hebreus 10.31 nos refresca a memória ao registrar que "terrível coisa é cair nas mãos dos Deus Vivo!", portanto, pensarmos em Satanás como o maior inimigo com o qual temos de lidar, é pensarmos apenas parcialmente certo, pois os nossos pecados levam-nos a um estado de inimizade com o próprio Deus! E isso é algo terrível!

Claramente percebemos no texto que, não há refúgio seguro construído pelo homem que seja capaz de suportar e aplacar a ira do nosso Deus, quando Este se manifesta justamente contra todo o gênero pecaminoso (Romanos 1.18). "O inimigo virá e cercará a terra", e isso será inevitável, pois quando nos encontramos em oposição ao Altíssimo, estamos de fato cercados por todos os lados, afinal, para onde iríamos, a fim de escaparmos de Sua presença (Salmos 139.7-12)?

"Derrubará a tua fortaleza e os teus palácios serão saqueados" e isso nos será por prova de que nada do que se constrói, por meio de nossas mãos, é capaz de nos proteger da justa Ira de Deus. Não há abrigo ou fortaleza que nos proteja do juízo do Senhor, a menos que estejamos refugiados em Cristo! 

A justiça do Cordeiro foi aplicada a cada um de nós, os que cremos no Seu nome, graciosamente, para que as nossas iniquidades fossem justificadas diante do Pai. Temos paz (e, não mais inimizade) com Deus, por meio de Jesus (Romanos 5.1), e estamos certos de que Esta fortaleza jamais será derrubada ou vencida. Somente em Cristo temos verdadeiro abrigo, e somente nEle podemos nos refugiar verdadeiramente.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário. Ficaremos felizes em poder contar com a sua opinião.